VÍDEO: Carro desgovernado invade Igreja Assembleia De Deus em Garanhuns


Na madruga deste domingo por volta das 3:00hs,  um carro desgovernado invadiu o tempo central da Igreja Assembleia De Deus. Que fica localizada na Rua Barão do Rio Branco em Garanhuns PE.

De imediato, guarnições foram enviadas ao local, onde constatou-se  que o vendedor José Marcelo Ferreira De Lima, de 29 anos, residente na Rua José Régis, Cohab III, Garanhuns, com visíveis sitomas  de ter ingerido bebida alcoólica, perdeu o controle da direção do carro que conduzia, um Astra hatch e invadiu o templo, danificando alguns bancos de madeira indo para próximo ao púlpito.

No momento do acidente não havia pessoas no local, evitando uma grande tragédia. O vendedor foi detido e conduzido à 18ª DESEC, para as providências cabíveis.

Veja o vídeo 

Assembleia de Deus em Chã Grande inaugura congregação

A igreja evangélica Assembleia de Deus em Chã Grande presidida  pelo pastor Aílton José Alves, inaugurou no último sábado (27/08), mais um templo na área urbana da cidade.

A igreja que é pastoreada pelo Ev. Genivaldo Marques, contou com a presença de todos os membros e congregados da rua das Palmeiras, local onde o templo foi construído. Esteve representando o pastor Ailton, o pastor Edimir Cavalcante da AD em Gravatá.

O templo que é um dos mais modernos do município conta com banheiros femininos, masculinos, para crianças e deficientes físicos além de um amplo anexo para salas de Escola Dominical.

O adolescente cristão e a obediência aos pais


O quinto mandamento do Decálogo: “Honra teu pai e tua mãe” (Êx 20.12) visa preservar a família, que é uma instituição divina onde toda a estrutura da sociedade está baseada.

Honrar os pais se constitui num princípio moral tanto para o AT quanto para o NT. Que obedecê-lo resulta em muitos benefícios e infringi-lo resulta em grandes prejuízos. Oito dos dez mandamentos do Decálogo são proibições e dois são positivos, o quarto e o quinto. Temos aqui o segundo mandamento apresentado em fórmula positiva. A honra aos pais, diante de Deus, garante sucesso e vida longa (Dt 5.16; 6.6-9, Pv 22.6). A desonra aos pais é um mal que assola as nações, o que resulta em uma maldição nacional (Ml 4.6).

I - UMA DEFINIÇÃO DE HONRA

A palavra honra se deriva do latim “honor”, que significa: respeitar, decorar ou ornamento. De acordo com o dicionário, a palavra honra tem os seguintes significados: grande respeito e estima dada a outrem; nobreza de mente, retidão; dignidade, especialmente a que se outorga a altas posições; cortesia social. No hebraico é “hadar”, e sempre indica sinais de respeito, obediência a pessoa e leis (Pv 21.21). A honra é o resultado da soma de todas as virtudes. É o justo sentimento de reconhecimento, não somente de uma posição em si, mas de alegria em dar a outrem aquilo que é por si mesmo ou conquistou (Rm 12.10; 13.7). A honra, além de ser uma qualidade moral que leva o indivíduo a cumprir os deveres para com os outros e consigo mesmo, é um mandamento divino que redunda em felicidade e vida prolongada (Êx 20.12; Ef 6.2, 3). Isso não é mágica ou milagre, é uma realidade social (Pv. 1.8; 3.1,2; 6.20; 23.22).

II – O QUINTO MANDAMENTO DO DECÁLOGO

Os pais são representantes de Deus na família; honrá-los e temê-los significa fazer o mesmo em relação a Deus. São eles que geram os filhos e são responsáveis pelo bem-estar deles, pelo seu sustento, alimentação, vestes, saúde e educação. Não existe na vida alguém mais importante para o filho do que o pai e a mãe, pois eles são seus heróis. Esse relacionamento é semelhante ao de Javé com o seu povo Israel (Dt 1.31; Ml 1.6). A expressão “o teu pai e a tua mãe” se aplica também aos pais espirituais, que devem ser honrados e respeitados pelos filhos na fé. Isso é visto na lei (2Rs 2.12; 13.14) e na graça (1Tm 1.2; 2Tm 1.2; 2.1; Tt 1.4). A figura do governante também se assemelha à dos pais; veja como Débora se considera mãe de Israel (Jz 5.7). Assim, o mandamento abrange as autoridades espirituais que devemos respeitar.

2.1 Honrar os pais é um mandamento (Êx 20.12-a). Honrar não é somente obedecer; Esaú obedecia a seu pai, agradava-o, mas tomou atitudes que vieram a desonra-lo gravemente (Gn 25.34,35). A expressão mandamento no hebraico é “mitswãh”. Este substantivo ocorre 181 vezes no AT. Sua primeira ocorrência é em Gn 26.5, onde “mitswãh” é sinônimo de “hõq” “estatuto, ordenança, prescrição, regra, lei, regulamento”. Honrar os pais  é um imperativo, ou seja, uma ordem, pois se constitui numa obrigação moral imposta por Deus (Êx 20.12; Dt 5.16). O verbo honrar segundo o Aurélio significa: “conferir honras a; dar crédito ou merecimento a; dignificar, enobrecer, estimar” (FERREIRA, 2004, p. 1055).  Logo, honrar implica em mais que submeter-se e obedecer as orientações dos pais, é também tê-los em grande estima pelo que são e pelo investimento que fazem na vida dos filhos (HAMILTON, 2006, p. 223).                                                                    

2.2 Honrar os pais contém uma rica promessa (Êx 20.12-b). Todo mandamento tem um benefício implícito (Lv 18.5; Dt 28; Is 1.19). Todavia, a ordem de honrar pai e mãe tem um benefício explícito: “para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá”. Este expressão pode ser entendida como referindo-se tanto à estada de Israel na terra prometida, quanto à vida do indivíduo. Portanto, os indivíduos infiéis a Deus que desrespeitavam seus pais não teriam vida longa na Terra Prometida (MOODY, sd, pp. 48,49). Em oposição a filosofia pós-moderna, a Palavra de Deus nos instrui à obediência, a considerar aquilo que os pais dizem. Muitos filhos estão pagando alto preço por causa da desatenção que deram às palavras dos seus pais. Essa mensagem deve ser reafirmada nos dias atuais, os filhos precisam saber que poderão colher frutos amargos se decidirem contrariar a orientação de seus pais.

2.3 Honrar os pais e obedecer ao próprio Deus. Desobedecer aos pais é desobedecer a Deus, pois estão investidos de autoridade divina sobre a vida dos filhos e receberam de Deus a responsabilidade pelo bem-estar deles. A observação “porque isto é justo” (Ef 6.1) ou “porque isto é correto”, significa tratar-se de uma lei natural que existe desde o princípio do mundo. Deus já havia colocado a sua lei no coração de todos os homens, mesmo antes de se revelar a Moisés no Sinai (Rm 1.19; 2.14,15). A promessa aos filhos que honram e obedecem aos pais, descrita no Decálogo, é a longevidade: “para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá” (Êx 20.12). A passagem paralela de Deuteronômio acrescenta o sucesso econômico: “para que te vá bem” (Dt 5.16). O apóstolo Paulo deliberadamente combina as palavras do quinto mandamento em ambos os textos do Decálogo, Êxodo e Deuteronômio: “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” (Ef 6.2,3).

III – O PRINCÍPIO DO RESPEITO AOS REPRESENTANTES DE DEUS NO LAR

Honrar aos progenitores não somente é uma forma de piedade elevada, como também é uma regra social de suprema importância, pois os conflitos domésticos naturalmente têm reflexos sobre a sociedade como um todo. Visto que os pais atuam como representantes de Deus no seio da família, este quinto mandamento, na realidade, é uma aplicação dos dois primeiros mandamentos. Assim, honrar a Deus implica em honrar aos pais. A solidariedade familiar jamais poderá tornar-se um fato nos lugares onde houver filhos desobedientes, que tentem escusar sua voluntariedade às custas dos pais (CHAMPLIN, 2006, vol 1, p. 392). Aos filhos que estão na igreja, a admoestação bíblica é a de que honrem seus pais, a menos que esses se interponham ao discipulado de Cristo (Mt. 10.37).

3.1 Antigo Testamento. Dentro do contexto hebreu, honrar os próprios pais era uma parte vital da existência. O cuidado com os pais era um elemento básico da responsabilidade em sociedade e da divina misericórdia para com Israel. Um filho que ousasse ferir seus pais sofria a pena de morte (Êx 21.15). Idêntico castigo cabia a quem amaldiçoasse qualquer de seus pais (Êx 21.17; Lv 20.9). A infâmia desse pecado foi claramente estabelecida na lei registrada em Deuteronômio 21.18-21. Os provérbios de Israel ampliaram devidamente a magnitude desse crime (Pv 19.26; 20.20; 30.11,17). Temos alguns exemplos bíblicos de filhos que desonraram seus pais e se prejudicaram por isso (Gn 49.3,4; Jz 14.1-3); seu casamento foi um fracasso (Jz 14.18-20; 1Sm 2.22-25; 2Sm 13.23-32).

3.2 Novo Testamento. O Senhor Jesus enfatizou o quinto mandamento, exortando a honrar pai e mãe (Mt 15.3-6; Mc 7.10-13). Desde muito pequeno mostrou sujeição completa aos seus pais terrenos (Lc 2.50,51). Como honrar os pais é um mandamento moral, o NT o preserva e incentiva o relacionamento respeitoso entre filhos e os pais (Ef 6.2). Abaixo veremos as duas recomendações do apóstolo Paulo quanto a observação deste mandamento: “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo”  (Ef 6.1). A palavra “obedecei” no original grego quer dizer: “seguir, estar sujeito a”. Fica subentendido que aos filhos é ordenado, que sejam justos e estejam sujeitos aos pais (CHAMPLIN, 2006, vol. 4, p. 634). A expressão justo no grego “dikaios” por sua vez, significa “costume, regra, direito”. Este é o padrão de santidade que deve permear a vida de todo aquele que serve a Deus (1Jo 2.29; 3.7,10).

IV – REBELDIA CONTRA OS PAIS UMA CARACTERÍSTICA DOS ÚLTIMOS DIAS

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2Tm 3.1-a). O presente texto nos mostra Paulo profetizando que os últimos dias da Igreja na terra seriam marcados uma onda esmagadora de dificuldades, conforme a expressão “tempos trabalhosos” no grego “chapelos” que quer dizer: “duro; difícil; custoso”. O apóstolo elenca as características maldosas dos homens com a proliferação do pecado e entre elas destaca que eles serão “desobediente a pais e mães” (2Tm 3.2). “Temos aqui um pecado tão moderno e comum em nossos dias, que nem choca mais os nossos ouvidos. No entanto, tal pecado era extremamente chocante para os antigos judeus, com seu código moral muito estrito em certos particulares, o que fazia com que esse pecado fosse considerado por eles como uma falta gravíssima”. Literalmente traduzida, essa palavra grega significa “incapazes de serem persuadidos pelos pais”. Esse pecado é uma maldição para o desenvolvimento harmonioso da família, estendendo-se a comunidade inteira dos homens, servindo de verdadeira praga da sociedade” (CHAMPLIN, 2006, vol 4, p. 585 – acréscimo nosso).

V – ATITUDES QUE OS FILHOS DEVEM TER PARA COM OS PAIS

Honrar pai e mãe é mandamento divino, e não sugestão humana (Êx 20.12; Dt 5.16; Mt 15.4). O verbo honrar é um imperativo intensivo (Nm 22.15). É usado no AT com vários significados e um deles diz respeito ao temor, ao reconhecimento de autoridade; em nosso contexto, refere-se a alguém merecedor de respeito, atenção e obediência (Lv 19.3). A Bíblia Sagrada, nossa única regra de fé e prática nos orienta quanto ao procedimento que devemos ter para os nossos pais, tais como: (a) honrá-los (Êx 20.12; Ef 6.2); (b) obedecê-los (Ef 6.1; Cl 3.20); (c) amá-los (Mt 10.37; Mt 22.39); e (d) assisti-los em suas necessidades (Mt 15.3-6; Mc 7.10-13).

O sentido de deixar pai e mãe quando se casa (Gn 2.24) é a construção de um novo lar, e não o abandono dos pais. Deus é justo e retribuirá tudo o que o filho fizer com o pai e com a mãe. Quem age dessa forma está semeando para o seu próprio futuro, pois colherá isso na velhice. Há inúmeros exemplos no AT da responsabilidade do filho em cuidar do sustento dos pais (Gn 47.12; Js 2.13,18; 6.23; 1Sm 22.3). O Senhor Jesus citou e viveu este mandamento (Mt 15.4, 5; 19.19; Mc 7.10-12; Lc 2.51). Quem cuida do pai e da mãe já está fazendo a obra de Deus; o cuidado da família deve ser prioritário, só depois é que vem a Igreja (1Tm 5.8). Esse é o pensamento cristão, que muitas vezes, infelizmente, é invertido entre nós.

CONCLUSÃO

Vivemos dias difíceis onde o maligno tem tentado destruir a honra que os filhos devem dar aos pais, desconstruindo o princípio de autoridade estabelecido pelo próprio Deus. Todavia, devemos entender que honrar pai e mãe é uma obrigação moral que deve ser cumprida com amor, alegria e voluntariedade.

REFERÊNCIAS

ADEYEMO, Tokunboh. Comentário Bíblico Africano. Mundo Cristão.

CHAMPLIN, Russell Norman, Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Vol. 4.HAGNOS.

CHAMPLIN, Russell Norman, O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo. HAGNOS.

COELHO, Alexandre e DANIEL, Silas. Vencendo as Aflições da Vida. CPAD.

Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. CPAD.

HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Antigo Testamento Josué a Ester. Editora CPAD.

PFEIFFER, Charles F. Comentário Bíblico Moody: Daniel. Editora Batista Regular.

RADMACHER, Earl D. O Novo Comentário Bíblico Novo Testamento. Editora Central Gospel Ltda. RICHARDS. Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. CPAD.

STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal.  CPAD.

VINE, W.E, et al. Dicionário Vine. CPAD.

____________________________
Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.

Itália: Após terremoto, voluntários evangélicos socorrem vítimas


Um terremoto de 6,2 graus de magnitude atingiu cidades e vilarejos montanhosos do centro do país, a cerca de 100 quilômetros de Roma. Segundo as autoridades, morreram 159 pessoas e pelo menos 400 ficaram seriamente feridos. As equipes de resgate ainda tentam tirar pessoas que estão soterradas nos escombros e o número de vítimas pode aumentar.

Após as notícias do terremoto serem divulgadas, a Aliança Evangélica da Itália (AEI) manifestou seu pesar pelas pessoas que perderam suas vidas na tragédia e pelas centenas de vítimas que estão feridas ou desabrigadas.

Além de expressar sua solidariedade na oração, está oferecendo ajuda prática a todos que foram afetados. Como já ocorreu em circunstâncias semelhantes no passado, a AEI mobilizou voluntários para ajudar no trabalho de socorro. Diferentes missões evangélicas com experiência em lidar com socorro após desastres naturais em diferentes lugares do mundo já enviaram pessoas para o local.

Aliança Evangélica da Europa também manifestou suas condolências. Embora sejam minoria na Itália e muitas vezes sejam perseguidos, todas as igrejas evangélicas estão anunciando campanhas de oração para que este momento de dor também possa ser um momento de consolo, arrependimento e conversão.

Ao mesmo tempo, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais na Itália, disse que as autoridades ainda não disseram quais são as necessidades mais urgentes. O representante da organização, pastor Daniele Benini, afirma que as igrejas da região estão abrindo as portas para abrigar aqueles que perderam suas casas.

“Se necessário, vamos oferecer a nossa ajuda no cuidado de crianças e idosos, que, como sempre acontece nessas situações, necessitam de mais apoio e companhia”, anunciou.

A Igreja Adventista na Itália apelou para que seus membros doassem sangue, seguindo um pedido da Cruz Vermelha. “Os membros das igrejas adventistas perto das zonas afetadas, são incentivados a doar sangue – um gesto concreto de serviço e de solidariedade”, disse o comunicado oficial.

Com informações de Protestante Digital e Adventist Review

Hosana Paixão MORRE aos 79 anos


Ontem as 17:00 hs da tarde, o Senhor recolher a cantora e compositora Hosana Paixão que foi uma mulher guerreira, batalhadora, destemida, virtuosa, humilde e de grande valor, e sei que fez como disse o Apóstolo Paulo em 2 Timóteo 4 verso 7 " Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé, e sei que ela já recebeu o seu troféu e sua corôa cheias de pedras preciosas pois através de sua vida milhares e milhares de almas se renderam aos pés de Jesus com sua vóz potente e ungida que alegrou milhares de pessoas.

 Louvo a Deus por sua vida, enquanto ela viveu aqui na terra, come ela mesmo falava que na epoca que ela aceitou a Jesus era proibido usar sandalias havaianas e beber Coca Cola, foram realmente outras epocas.

Jair e Hozana – Dueto que teve Inicio nos Anos 60. Juntos lançaram inúmeros discos de sucessos como os Clássicos:

* Alma Cansada,
*Cristo é Meu Amigo
*Que Coisa Linda.
Depois deles muitos duetos apareceram e até regravaram seus sucessos.
Em 1981 saiu o disco "Deixa Deus dominar tua Vida" disco este que seria o último lançado pelo dueto.

Nesse mesmo ano Jair Pires e Hozana se separaram partindo ambos para carreira solo.
Jair Pires é um marco na história da música evangélica nacional. Formou dupla, durante anos, com a cantora Hosana, deixando um vastíssimo repertório de obras musicais conhecidíssimas, tais como, Alma cansada, Canta meu povo, A vida do crente, Alguém me tocou, Cristo é meu amigo, Que coisa linda, Que bom seria, Estrada de espinhos, Que maravilha, dentre várias. Todas foram muito executadas mas uma tornou-se cult. Falo da valseada canção Alma cansada, gravada no final dos anos 60 pela extinta Celeste (e atualmente sob propriedade da gravadora Louvores do coração, de São Paulo), que rompeu nossas fronteiras, alcançando notoriedade inclusive em outros países.

O sucesso de Alma cansada valeu-lhe regravações da Banda & Voz, num show ao vivo no Canecão em 1990; da Mara Lima, no álbum Recordações Vol. 1, de 1995; Agê Ferreira, no disco Peça com fé; e Robinson Monteiro, que a incluiu como a sexta faixa do seu CD Prostrei-me, em 1999, disco independente e primeiro de conotação totalmente evangélica na carreira do cantor apelidado, carinhosamente, de Anjo.

Hozana continuava seu Ministério onde sempre residiu no estado do Espírito Santo.
Muitos são os que apareceram no cenário da música evangélica. Porém, da mesma forma que surgiram, desapareceram e já não se tem mais notícias deles. No entanto, há aqueles que nem as circunstâncias e nem o tempo puderam fazer sucumbir. Dentre esses, está a cantora Hosana. Ela foi mais conhecida pelo dueto que fazia com Jair Pires, a famosa dupla Jair e Hosana.

Com os ultimos Cds de sua carreira gravados pela gravadora Br Press ela fez O3 álbuns com os melhores momentos de Jair e Hosana que devera ser lançado em breve nas plataformas digitais como Spotfy, Itunes, Google Play e outros...

O velório de Hosana será amanhã domingo por volta das 11:00 hs e o culto fúnebre será na Igreja Assembleia de Deus Bairro Bubu Cariacica ES. Pastor Gentil, situado na rua Graciano Furtunato.


Club da Música

Morre o pastor Cesino Bernardino


O pastor Cesino Bernardino, 81 anos, conhecido por ter fundado os Gideões Missionários da Última Hora, é chamado por muitos de “Pai de missões”. No final de junho, após ter realizado uma cirurgia, ele entrou em coma profundo.

Foram feitas diversas campanhas de oração lideradas pelo seu filho, pastor Reuel Bernardino, na expectativa de um milagre. Cesino tinha sérios problemas nos rins e nos pulmões.

Na tarde deste sábado (30) ele entrou em óbito, após passar mais de um mês na UTI do hospital Santa Catarina, em Blumenau.

Pastor fez história

Os GMUH surgiram no final da década de 1970, idealizado por Bernardino, recém chegado para assumir a Assembleia de Deus em Camboriú, Santa Catarina. Devido às grandes dificuldades financeiras da congregação, ele iniciou uma campanha de oração para que Deus o orientasse.

Segundo a revelação dada aos membros da igreja, que faziam reuniões de oração em suas casas, anunciou-se que a pequena cidade se tornaria referência para o país. Seguindo a tradição pentecostal, o pastor Cesino pregava constantemente em sua igreja e nas cidades vizinhas sobre o batismo no Espírito Santo.

Logo, ele reuniu uma equipe que, compartilhando de sua visão começou a preparar encontros de avivamento. No início da década de 1980, Bernardino realiza um congresso para os membros da igreja de Camboriú, o 1º Encontro de Missões, na igreja sede.

Na ocasião, foi comissionada a primeira missionária do ministério, enviada para a Argentina. Em pouco tempo surgiram outros. Criou-se uma tradição, que continua até hoje de realizar a cada mês de abril um evento similar em Camboriú.

Em 2016, celebrou-se o 34º Encontro dos Gideões, considerado o maior evento do tipo no mundo. Seguindo um crescimento contínuo com o passar dos anos, o encontro sempre reúne pessoas de todo o Brasil e também exterior.

De acordo com a organização do evento, cerca de 150 mil pessoas participam do encontro.

Gospel Prime

O adolescente cristão e o batismo em águas


Um dos momentos mais marcantes na vida terrena de Jesus foi o seu batismo. Sua importância dá-se pelo fato de este evento ser registrado pelos quatro evangelistas.

Para constituir o seu povo na Terra, o Senhor Jesus estabeleceu a Igreja, o seu corpo místico (Ef 1.22,23), e o sinal visível de ingresso e identificação do novo crente na igreja local é a sua obediência às ordenanças de Jesus à igreja: o batismo em águas e a Santa Ceia (Mc 16.15,16; At 2.38,39,41,42; Rm 6.3,4). Veremos o que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem?

I - O QUE É BATISMO
Um dos momentos mais marcantes na vida terrena de Jesus foi o seu batismo. Sua importância dá-se pelo fato de este evento ser registrado pelos quatro evangelistas (Mt 3.13-17; Mc 1.9-11; Lc 3.21,22; Jo 1.32-34). Além disso, o batismo de Jesus revela-nos sua filiação com o Pai.

1.1 Sentido literal. Na língua original do NT, o grego, a palavra batismo “baptizo” significa: “imergir, mergulhar, afundar, colocar para dentro de”. Vários textos do NT mostram que o batismo era efetuado em águas abundantes de rios, lagos ou mares, ou em algum outro local com água suficiente para mergulhar completamente a pessoa que desejasse ser batizada (Mt 3.13-17; Mc 1.9-11; Lc 3.21,22; Jo 1.32-34; 3.23; At 2.41; At 8.36-39; 9.18). Podemos citar quando Paulo batizou o carcereiro (At 16.33).

1.2 O sentido litúrgico. O NT estabelece apenas duas ordenanças que, embora não salvem, testemunham de forma visível da graciosa salvação mediante a fé em Cristo Jesus. Essas ordenanças são também símbolos que expressam a nossa fé e comunhão com Cristo, a saber: o batismo em águas por imersão e a Santa Ceia. Essas duas instituições são chamadas pela igreja de ordenanças, porque foram ordenadas por Jesus (Mt 28.19; 26.26-28; Mc 16.16; Mc 16.20; At 2.41; 8.12,13,36-39; 10.47). O batismo em águas como um ato litúrgico representa os símbolos que expressam a nossa fé e comunhão com Cristo (Cl 2.12; Rm 6.4).

II - O BATISMO POR IMERSÃO E SUA IMPORTÂNCIA BÍBLICA
O batismo em águas é na verdade um ato de obediência ao comando de: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado...” (At 2.38). No entanto, o batismo em água por imersão é um testemunho público da nova vida em Cristo assumida pelo batizando.

2.1 A forma do batismo. Ao tratar do batismo, a Bíblia é incisiva ao demonstrar que somente o convertido deve ser imerso totalmente na água (At 8.36,38) como um sinal físico e visível de sua fé e arrependimento (Jo 3.23). A linguagem bíblica empregada na simbologia do batismo implica imersão total (Rm 6.4; Cl 2.12). Paulo compara o batismo a um sepultamento (Cl 2.12, Rm 6.3-6), não sepultamos um corpo atirando apenas uma pá de terra.

2.2 A autoridade e a fórmula do batismo. Muitos não percebem estes dois fatos da doutrina do batismo e trabalham de forma errada. a) Autoridade. A ordem divina para batizar, bem como a fórmula do batismo, temo-as a partir de Mateus 28.19: “Batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. “Em nome” fala-nos do direito concedido por Jesus aos seus ministros para efetuarem o batismo de acordo com a ordenança divina (At 2.38; 8.16; 10.48; 19.5).  b) A fórmula. Ainda em Mateus 28.19, encontramos a fórmula do batismo na expressão: “do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, pois a salvação procede do Pai que a planejou; do Filho, que a consumou; e do Espírito Santo que a efetuou.

III - JESUS E O BATISMO EM ÁGUAS
Se o batismo era uma confissão pública de arrependimento de pecados, e o Senhor Jesus não tinha pecados para confessar, é de se deduzir que Ele não precisava se batizar. Eis aí a razão pela qual João quis se recusar (Jo 1.14). Por qual razão, então, Jesus se submeteu ao batismo em águas? Vejamos:

3.1. Para cumprir toda a justiça. Como Jesus viera sob a Lei (Gl 4.4), teria de dar exemplo de plena obediência à Lei diante da nação israelita. Por esta razão, Ele foi circuncidado (Lc 2.21); foi apresentado no Templo e consagrado ao Senhor (Lc 2.22,23); aos doze anos, foi à Jerusalém para participar da Páscoa (Lc 2.41,42), e também se submeteu ao batismo em águas (Mt 3.13-17; Mc 1.9-11; Lc 3.21,22; Jo 1.32-34).

3.2 Para se identificar com os pecadores. Embora Jesus não precisasse do arrependimento de pecado (1Pe 2.24), foi batizado como nosso representante, assim também como nosso representante seria crucificado (Lc 3.21; 2 Co 5.21). O batismo ilustra a identificação do crente com a morte, sepultamento e ressurreição de Jesus (Rm 6.3-4). A ação de ser imerso em águas retrata sendo sepultado com Cristo. A ação de sair da água retrata a ressurreição de Cristo.

3.3. Para confirmar e anunciar seu ministério. Assim como o batismo representa o fim de uma velha para uma nova vida, o batismo de Jesus também representa o fim de uma vida normal de um simples carpinteiro (Mt 13.55; Mc 6.3), para tornar-se um homem público, e dar início ao seu ministério, com uma missão específica, sob o poder do Espírito Santo (Mt 4.23; 9.35). Ao ser batizado por João, Jesus queria endossar também o ministério de João (Mt 21.25).

IV O BATISMO NA VIDA DA IGREJA
O batismo em águas não é (como alguns acreditam) um pré-requisito para salvação, pois batismo não salva ninguém. Jesus disse que quem crer (e for batizado por crer) será salvo e quem não crer será condenado; notemos que ele não disse “quem não for batizado será condenado”, mas sim “quem não crer”. O batismo segue a fé que nos leva à salvação, mas ele em si não é um meio de salvação. Que o diga aquele ladrão que foi crucificado com Cristo e a quem Jesus disse que estaria com ele ainda aquele dia no paraíso (Lc 23.39 a 43); ele somente creu e nem pôde ser batizado, mas não deixou de ser salvo por isto. O batismo, portanto, não salva, mas nem por isso deixa de ser importante e necessário. Podemos dizer que o batismo é parte do processo de salvação, mas não que ele em si salve (1Pe 3.21).

4.1 A prática do batismo no início da igreja. O dia de Pentecostes, com o derramamento inicial do Espírito Santo na vida dos discípulos de Jesus, assinalou também a inauguração da Igreja quando, naquele mesmo dia, foram batizadas quase três mil pessoas que se agregaram a igreja (At 2.37-41). No entanto, o batismo em águas não é pré-requisito para receber o batismo com o Espírito Santo. Na casa de Cornélio, toda a sua família foi cheia do Espírito Santo e falou em outras línguas e, a seguir, foi batizada em água (At 10.44-48). Naturalmente, uma pessoa que aceita a Cristo como seu Salvador e Senhor não deve ficar alheia à vida da igreja e ao batismo em água (At 2.41).

4.2 As realidades espirituais figuradas no batismo. O batismo em águas é uma identificação pública do crente com Cristo, o seu Salvador, em que: a) A descida do candidato às águas fala da nossa morte com Cristo; b) A imersão nas águas está relacionada com o nosso sepultamento com Cristo; e c) O levantamento das águas representa a nossa ressurreição com Cristo em novidade de vida (Rm 6.3,4). Um dos propósitos do batismo em águas é simbolizar a morte, sepultamento e ressurreição do novo crente e sua nova vida em Cristo.

V – A CIRCUNCISÃO E O BATISMO EM ÁGUAS
O batismo em águas através do arrependimento substituiu na Nova Aliança em Cristo, o sinal de pacto com Deus que a circuncisão representou no AT (Cl 2.11-12). Para o povo judeu a circuncisão era a forma de “inserção” do indivíduo na comunidade judaica. Da mesma forma, o batismo em águas é o meio de “inserção” do cristão na Igreja como instituição. A comunidade cristã adotou o batismo com água em lugar da circuncisão, por vários motivos. Dentre eles, podemos destacar:

O uso da água fazia parte da tradição de purificação dos judeus. E, uma vez que a Igreja entendia que Cristo veio para nos purificar de todo pecado e injustiça, nada melhor do que o uso da água para a inserção nesta nova realidade de vida e fé (Nm 19.9; Ez 36,25); A circuncisão excluía a mulher, uma vez que a mesma era um sinal no órgão genital masculino, o batismo com água passou a incluí-la e colocá-la em termos de igualdade no Reino de Deus; A circuncisão exigia o legalismo (observância irrestrita da lei) como meio de salvação. A ênfase da circuncisão era a prática de obras para a justificação. O batismo com água exige simplesmente a fé, confiança na graça de Deus. Nele, os méritos humanos para a justificação são excluídos diante de Deus (Ef 2.8-9); A circuncisão limitava o direito dos gentios (pessoas fora da cultura judaica) em relação ao pacto com Deus. O batismo com água nivela a todos, deixando-os iguais e com o mesmo direito diante de Deus (Gl 3.27-29).

CONCLUSÃO
O batismo em água é a porta de entrada para agregar-se à igreja visível, terrena e local. Portanto, é indispensável que todo convertido a Cristo seja assim batizado e integrado à vida da igreja cristã local. O batismo não salva, no entanto, todos os que creem em Jesus para sua salvação pessoal desejam descer às águas batismais em cumprimento ao mandato de Jesus (Mc 16.16).

REFERÊNCIAS
MENZIES, W. W.; HORTON, S. M. Doutrinas bíblicas: os fundamentos da nossa fé. RJ: CPAD.
ADEYEMO, Tokunboh. Comentário Bíblico Africano. Mundo Cristão.
CHAMPLIN, Russell Norman, Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Vol. 4.HAGNOS.
CHAMPLIN, Russell Norman, O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo. HAGNOS.
Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. CPAD.
HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Antigo Testamento Josué a Ester. Editora CPAD.
RADMACHER, Earl D. O Novo Comentário Bíblico Novo Testamento. Editora Central Gospel Ltda. RICHARDS.
Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. CPAD.
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal.  CPAD.

VINE, W.E, et al. Dicionário Vine. CPAD.

FONTE: IEADPE

TV argentina troca novela da Globo por minissérie bíblica da Record


A baixa da novela “Boogie Oogie”, produção da Rede Globo, fez com que o canal argentino Telefe cancelasse a exibição da trama e a substituísse pela minissérie “Milagres de Jesus”, da Record.

A novela da Globo teve apenas 19 capítulos exibidos, mas pela falta de público o canal achou por bem tirar a trama do ar, como informa o Blog KTV da jornalista Keila Jimenez, do R7.

No lugar vai entrar a minissérie que mostra os milagres de Jesus, uma produção que foi exibida no Brasil entre 2014 e 2015 e que rendeu bons índices de audiência para a emissora de Edir Macedo.

Enquanto a novela não estreia no horário das 16h30, a emissora argentina tem exibido a novela “Amor Prohibido”, uma produção turca.

Cada episódio da minissérie mostra um milagre que Cristo realizou e que encontramos nos Evangelhos, entre eles a cura do leproso de Genesaré, a cura da filha de Jairo, a cura do cego de nascença, a cura dos dez leprosos e outras.

A minissérie tem 27 episódios e o elenco principal é formado pelos atores Flávio Rocha, Caio Junqueira, Marcello Gonçalves, Maurício Ribeiro, Rodrigo Vidigal, Pierre Santos, Pedro Coelho e Diogo Cardoso.

A Telefe já exibe a novela “Os Dez Mandamentos” que lá na Argentina é chamada de “Moisés y Los Diez Mandamientos”. Já a minissérie que deve estrear em breve recebeu o nome de “Los Milagros de Jesús”.

Gospel Prime


Top